quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Salve a Primavera

Oh lá lá...finalmente ela chegou!
Não, não estou falando de mim rs, estou falando de uma das estações mais lindas que existe...
A Primavera!

Salve e bem vinda!
Me despeço do inverno agradecida, pois fui uma ótima bruxinha e me comportei muito bem este ano rs, não xinguei, não desrespeitei essa estação tão fria e que sempre incomodou esta garota primavera/verão que sou rs. Soube muito bem aproveitar seu verdadeiro significado. Tanto soube que agora estou recebendo bênçãos de todos os lados.

Estou feliz, serena, sinto que saí daquele luto que me corroía...as bênçãos me alcançam agora, e eu sou só gratidão...plena, forte, mulher, menina, encanto, amor de vênus, renovação de Primavera.

Seja mil vezes bem vinda a Primavera da minha vida!
Primavera das flores e sabores, das bolhas de sabão e do algodão doce...

E Viva a Vida!
Viva a Primavera!


Flores e Luz.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Poder da Deusa Consagrando o Cotidiano

O ressurgimento do Sagrado Feminino nos traz uma nova visão espiritual.
A espiritualidade centrada no culto à Deusa implica no respeito à natureza e à vida em todas as suas manifestações, no cultivo da compaixão e aceitação nossa e dos outros, no reconhecimento da intuição e sabedoria existentes – mesmo que latentes – em todos nós, na celebração alegre da unidade com toda a criação.
Para sentir o poder da Deusa, comece a perceber o sagrado em tudo que a cerca, em cada dia, em cada lugar. Talvez precise de algum tempo para notar e experimentar conscientemente momentos, vivências, encontros, que antes passavam de forma fugaz sem que você percebesse o seu valor. Adquirindo uma nova consciência a sua vida torna-se mais rica, um acontecimento ou encontro não mais é algo fortuito, as “coincidências” passam a ser facetas da sincronicidade cósmica.
A mulher tem um enorme poder dentro de si. Não é o poder sobre alguém ou contra alguém, é o seu poder inato e ancestral, a sua intuição, percepção, compreensão, compaixão, criatividade, amor e conexão – consigo mesma, com os outros, com o Divino.
Nas antigas tradições e culturas o poder criativo e renovador da Deusa eram o símbolo da própria vida, a Terra e a mulher eram consideradas sagradas sendo suas representações.
Nos cultos e mistérios femininos honravam-se os ciclos eternos que marcavam a vida do renascimento à morte, e desta para um novo início através do renascimento. Vida e morte eram interligadas de forma misteriosa e divina, competindo às mulheres as tarefas de recepcionar e cuidar da vida (como parteiras, mães, curandeiras), assistir e auxiliar as transições (como xamãs e sacerdotisas) e servir como intermediarias entre o humano e o divino (profetisas, oráculos).
O poder da Deusa possibilita a expansão do potencial emocional, mental, criativo e espiritual inatos em cada mulher. O poder da mulher está na sua sabedoria, a compreensão intuitiva, imparcial e sábia dos processos e das surpresas da vida. Todas as mulheres podem se tornar sábias, permanecendo serenas no meio do tumulto.
As mulheres que almejam o poder da Deusa cultivam uma forma diferente de espiritualidade, buscando expandir sua consciência, honrando a vida em tudo ao seu redor e transformando o mundano em sagrado. A chave para a transformação espiritual é o enriquecimento e o aprofundamento de sua vida interior, podendo assim acessar e confiar no seu Eu Superior.

Para nutrir e embelezar nossas vidas podemos usar inúmeros recursos, simples ou elaborados, como alguns dos seguintes:

1. Crie um espaço sagrado no seu lar, não somente através de um altar, mas usando sua inspiração, imaginação e amorosidade para que todos se sintam bem, protegidos, nutridos e amados;

2. Crie momentos sagrados – para si mesma ou compartilhando-os com amigos e familiares – caminhando na natureza, ouvindo música suave, jantando a luz de velas, lendo textos que nutram a alma, enriqueça a sua mente e elevem o espírito;

3. Entre em comunhão com a natureza, honrando a Deusa em todos os seus aspectos e manifestações. Não basta encher sua casa de plantas se você não entrar em contato real e profundo com a terra, a chuva, o vento, as nuvens, o Sol, a Lua, os animais – seus irmãos de criação;

4. Respire e consagre seu corpo como à morada da sua alma durante esta encarnação. Procure viver de forma saudável, fazendo suas opções com consciência, sem se agredir e sem culpar – a si ou aos outros – pelos seus problemas ou compulsões. Coma bem para viver melhor. Observe suas fugas e compensações, cuide da sua “criança” carente ou ferida ajudando-a a crescer, curando-a com amor e dando-lhe os meios adequados para se tornar forte e auto-suficiente;

5. Manifeste sua criatividade – escreva, borde, pinte, desenhe, faça colagens, modele argila, cante, recite, dance, aprenda algo novo, componha um poema ou canção, faça pão, comece um diário de sonhos. A mulher que não dá vazão construtiva à sua imensa capacidade criativa pode torná-la em energia destrutiva – contra si ou contra os outros;

6. Coloque em prática os ensinamentos espirituais. Não se contente em ler inúmeros livros ou participar de cursos e workshops se você não pratica aquilo que aprendeu. Para mudar, precisa viver de forma consciente, reconhecer e transmutar seus pensamentos negativos e ser sincera nas avaliações – suas e dos outros. Todas as experiências dolorosas da vida são aprendizados cujas lições podem contribuir para sua transformação. Algumas mensagens levam momentos para serem assimilados, outras, meses ou anos. Quando começar a compreender o significado dos acontecimentos da sua vida, você começou a crescer de fato e assim poderá abrir novas portas na sua vida, se usar a chave certa;

7. Encontre o equilíbrio entre o falar e o silenciar, se movimentar ou se aquietar. Procure se relacionar com pessoas que compartilham das mesmas buscas e que têm o mesmo nível vibratório. Participe de círculos de mulheres em que possa encontrar apoio para a sua jornada espiritual, em que possa confiar para expressar suas dores ou suas conquistas. Celebre a Deusa sozinha ou em grupo, encontrando assim a verdadeira fonte de seu poder, da sua cura e transformação. Cultive a Deusa dentro de você reconhecendo a sacralidade do seu corpo, da sua mente, das suas emoções, da sua vida. E ao reconhecer a Deusa dentro de si, você se tornará uma com Ela.

Flores e Luz.

(Texto lindo de Mirella Faur)

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Perdão - Blogagem coletiva



Olá flores, rosas e cravos do meu jardim!

Hoje é o último dia da blogagem coletiva, e o tema é o Perdão.
Pois é, já começo pedindo perdão rs, estou cheia de afazeres e nem daria para postar hoje, mas como adoro a Glorinha e as suas blogagens, cá estou eu! Não poderia falhar, mas serei breve por falta de tempo, então...perdão! rs.

Para mim o perdão é a própria cura!

É sim gente, o perdão cura. Perdoar é um ato que deveria ser praticado no dia a dia, para consigo mesmo e para com os outros também. Quando não perdoamos, acabamos gerando uma espécie de veneno em nosso corpo, que padece de doenças de todos os tipos. O veneno corre por nossa corrente sanguínea afetando todo o nosso equilíbrio. Rancores, raivas, tudo isso não vale a pena, o preço é muito alto!
E discernimento também faz parte disso! Ah...e o orgulho também, o ego e por aí vai.
Nos perdemos pela falta e excesso de sentimentos. Em um momento da minha vida, precisei perdoar uma pessoa próxima, e no começo confesso que tive muita dificuldade, pois como trabalho com energias, me propunha a mandar uma luz rosa do meu chakra cardíaco até o chakra da pessoa, inclusive justamente no momento em que se bobeasse eu iria era arranjar a maior briga entendem?! Mandava energia de amor, muito amor, e fiz também muita oração do perdão, só que não pensem que essa oração era pedindo para pessoa me perdoar não, era pedindo perdão mesmo, pois eu não tenho a ilusão de achar que não devo nada! Em minha crença existem pendências de vidas passadas, e hoje o que parece te ferir está alí para que você tenha a oportunidade de ser mais nobre agora e peça perdão das faltas que outrora cometeu, mesmo que não tenha conhecimento do que tenha feito. E olha gente, foi um santo remédio! O que era difícil no começo, se tornou o bálsamo da minha alma, os resultados vieram em forma de carinho, paz, harmonia e respeito.

Concluindo: Perdoem, se auto perdoem, perdoem quem o feriu. Cure a sua alma e quem sabe obterá a cura também do seu corpo.

Um grande beijo à todos.


Flores e Luz.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Sorry...

Gente!!!
Desculpem a minha ausência, mas ando muito atarefada!
Carrego todos no meu coração.
Desejo um lindo dia à vocês.
Beijinhos.

Flores e Luz.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Orgulho - Blogagem Coletiva

Mais uma sexta-feira de blogagem coletiva, e o tema é o Orgulho.
Cada pessoa tem o seu parecer a respeito deste assunto. Eu compartilharei hoje o texto de um site espiritual que tem a ver com a minha maneira de pensar. Como sou ligada a espiritualidade e acredito em reencarnação, ele traduz bem o que vai pela minha alma.
Beijinhos e boa reflexão.


ORGULHO

O orgulho, a ganância e a sede de poder refletem a imaturidade do ser humano, das pessoas que
acreditam que as leis cósmicas podem permitir uma felicidade egoísta, onde alguns se locupletam e outros vegetam.
Certamente os valores negativos mais danosos à humanidade são o orgulho, o egoísmo e a ambição desmedida, que levam o ser humano a querer sobressair-se sempre aos demais, a viver apenas em função de si mesmo, das suas vontades e satisfação das próprias paixões, e a ter sempre mais e mais.
Esses valores negativos demonstram apenas a imaturidade do ser humano, a sua tolice.
Para que orgulho se todas as situações e condições humanas são efêmeras, são passageiras? Orgulho de quê? Das posses que não podemos levar conosco para além desta vida, e que nem mesmo nos conseguem livrar das doenças, dos acidentes dos sofrimentos e da própria morte? Orgulho pela posse de bens que na realidade não nos pertencem; desses bens que a vida nos cede por empréstimo, e que temos de devolver na passagem pelo túmulo?
Além do mais, existem as reencarnações... O orgulhoso que se envaidece pelas posições que ocupa, pisoteando e humilhando seus subordinados ou aqueles a quem considera inferiores, nas futuras encarnações certamente irá sofrer as mesmas humilhações que impingiu a seus irmãos em humanidade.
O egoísta que se apega aos bens que possui e não lhes dá a correta destinação, ou seja, meios de vida também para outras pessoas, em futuras encarnações deverá amargar a pobreza, a penúria, a miséria, para poder dessa forma aprender a respeitar as leis divinas.

Flores e Luz.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O Poder que vem de Dentro

Olá mulheres maravilhosas, e homens inteligentes que querem aprender mais sobre a verdadeira natureza feminina.

Fico imensamente feliz por ter o olhar que tenho hoje em dia. Como vocês já sabem, sou professora de dança (entre outras coisas), e fico maravilhada vendo as minhas alunas dançarem. Tenho alunas de várias faixas de idade, a mais "experiente nas coisas da vida" tem 75 anos. Amo poder vê-las dançando, pois consigo ver e sentir a essência e beleza da alma de cada uma. Claro que elas normalmente são muito críticas consigo próprias, mas eu...ah...eu consigo ver além e digo isso a elas sempre! Cada uma tem uma beleza, cada uma tem uma linda essência que se expande a medida em que se deixam levar pela música, pela dança e pela vida! Passo esta informação por conta da minha experiência pessoal de todos os dias, mas vejo beleza em todas as mulheres, naquelas que passam na rua, que são mães, filhas, avós, nas minhas lindas flores virtuais com as quais troco carinho e amizade aqui neste mundo dos blogs, aquelas que nem conheço pessoalmente e que vejo pela televisão, e por aí vai!
Mulheres lindas, descubram o seu poder, não falo do poder egóico, mas sim aquele que nos faz sentir belas independente da forma física, idade etc. Não sejam escravas da moda, da sociedade, do botox e das cirurgias plásticas indiscriminadas. Pra tudo há um tempo certo! Quer fazer uns ajustezinhos faça, mas sem perder a sua fisionomia, sem perder a beleza que o senhor tempo trouxe.
Hoje trago o trecho de um texto do livro "Mulheres que correm com os Lobos" da Clarisse Pinkola Estés que acho maravilhoso!
Leiam com muita atenção, e com muita alma também.
Beijinhos à todos que passarem por aqui.

O Poder das Ancas

O que constitui um corpo saudável no mundo instintivo?
No nível mais básico— o seio, o ventre, qualquer parte onde haja pele, qualquer parte onde haja neurônios para transmitir sensações — a questão não é a do formato, do tamanho, da cor, da idade; mas, sim, se existe sensação, se funciona como deveria, se temos reações, se temos todo um leque, todo um espectro de sentimentos.
Ele tem medo, está paralisado pela dor ou pelo receio?
Está anestesiado por traumas antigos?
Ou será que ele tem sua própria música?
Está ouvindo, como Baubo, através do ventre?
Está olhando com uma das suas inúmeras formas de ver?
Passei por duas experiências decisivas quando estava com vinte e poucos anos, experiências que contrariavam tudo o que me haviam ensinado sobre o corpo até então. Quando estava num seminário de uma semana de duração para mulheres, à noite junto ao fogo e perto de fontes termais, vi uma mulher nua de cerca de 35 anos. Seus seios estavam murchos de amamentar; seu ventre, estriado de dar à luz. Eu era muito nova e me lembro de ter sentido pena das agressões sofridas pela sua pele fina e clara. Alguém estava tocando tambores e maracas, e ela começou a dançar, com o cabelo, os seios, a pele, os membros todos se movimentando em direções diferentes. Como era linda, como era cheia de vida. Sua graça era de partir o coração. Eu sempre havia ridicularizado a expressão "furacão nos quadris". Naquela noite, porém, vi um exemplo. Vi o poder das suas ancas. Presenciei o que me haviam ensinado a ignorar: o poder do corpo de uma mulher quando é animado de dentro para fora. Quase três décadas mais tarde, ainda posso vê-la dançando no escuro e ainda sinto o impacto da força do corpo.
O segundo despertar envolveu uma mulher muito mais velha. De acordo comos padrões vigentes, seus quadris eram excessivamente parecidos com pêras, seus seios eram ínfimos em comparação, e suas coxas eram totalmente cobertas por finíssimas veias arroxeadas. Uma longa cicatriz de alguma cirurgia grave circundava seu corpo, indo desde a coluna vertebral até as costelas, como um corte para descascar maçãs. Sua cintura devia ter a largura de quatro palmos. Era, portanto, um mistério o motivo pelo qual os homens zumbiam à sua volta como se ela fosse um favo de mel. Eles queriam morder suas coxas de pêra, lamber aquela cicatriz, segurar aquele peito, descansar o rosto nas teias das suas varizes. Seu sorriso era deslumbrante; seu caminhar, extremamente belo. E quando ela olhava, seus olhos realmente absorviam o que estavam vendo.
Vi novamente o que me haviam ensinado a ignorar, o poder no corpo. O poder cultural do corpo é a sua beleza, mas o poder no corpo é raro, pois a maioria das mulheres o expulsou com torturas ou com sua vergonha da própria carne. Tendo em vista o exposto, a mulher selvagem pode pesquisar a numinosidade do seu próprio corpo e compreendê-lo, não como um peso morto que estamos condenadas a carregar por toda a vida, não como uma besta de carga, mimada ou não, que nos carrega por aí pela vida inteira, mas como uma série de portas, sonhos e poemas através dos quais podemos obter todo tipo de aprendizagem e conhecimento. Na psique selvagem, compreende-se o corpo como um ser por seus próprios méritos, que nos ama, que depende de nós, para quem, de vez em quando, somos a mãe e que, de vez em quando, representa a mãe para nós.

Flores e Luz.


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Felicidade - Blogagem Coletiva

Olá minhas flores, cravos e rosas do meu jardim.
Primeiramente quero me desculpar pela ausência, ando muito atarefada no momento. Agradeço pelos comentários feitos desde a 6ª feira passada, muito obrigada pela visita e pelo carinho.

Minha opinião pessoal à respeito da Felicidade

No meu modo de pensar, a felicidade não está em lugar nenhum fora de nós, ela habita dentro do nosso ser. Procurar fora é pura perda de tempo!
Ficamos criando expectativas nos acontecimentos, nas pessoas, em tudo! Daí fica fácil não, temos a quem culpar por sermos tão infelizes e blá blá blá.
Somos responsáveis por nossa felicidade. Felicidade é um estado de espírito. Não sei se estou me fazendo entender, mas falo a respeito da felicidade real, aquela que vem de dentro e independe de fatores externos.

Vou dar um exemplo para deixar mais clara a minha opinião.
Quando passei pela maior tristeza da minha vida (a perda dos meus pais), senti minha alma dilacerada, a dor estava espalhada pelo meu corpo e por todo o meu ser, mas mesmo assim, eu sabia e sentia que a felicidade ainda estava dentro de mim. Eu estava passando por um momento de tristeza, mas isso não queria dizer que eu era infeliz.
O meu avô materno costumava dizer que existem momentos de felicidade, e eu não concordo.
Para mim existem momentos de tristeza, pois a felicidade habita em mim sempre!

Quem me conhece sabe, estou sempre sorridente, e isto não é uma máscara! Eu sou assim, feliz!
Tenho as minhas cicatrizes, mas escolhi ser feliz.
Sou uma pessoa emotiva, altamente compadecida, já chorei e ainda choro pelas tristezas do mundo, das pessoas que nem conheço e que sofrem, rezo por elas, emano amor e felicidade pra tudo que precisa.

Pensem sobre o que escrevi, todos podem ser felizes.
Querem um conselho para começar a pensar assim?

Sejam gratos por tudo o que tem.
Mesmo que chorar, seja agradecido pelo dom de estar vivo.
Quando não entender seu sofrimento agradeça à Deusa Mãe e a Deus Pai, pois se trata de um aprendizado e eles sabem qual o melhor caminho, nós podemos não entender nada do que está acontecendo, mas eles sabem, então confia e vai.
Você tem duas escolhas: a felicidade ou a tristeza. Qual você escolhe?
EU ESCOLHO SER FELIZ!!!


Compartilho agora com vocês, esta pesquisa que achei interessantíssima.

Contagiante como um sorriso

Um sorriso pode ser contagiante. Você não precisa de um sofisticado estudo científico para lhe dizer isto. Mas será que a felicidade se espalha tão rapidamente quanto um sorriso?

A resposta é um sorridente sim, de acordo com uma pesquisa feita por James Fowler (UC San Diego) e Nicholas Christakis (Harvard Medical School). Sua pesquisa acaba de ser publicada no British Medical Journal.

A felicidade é contagiante

A felicidade se espalha de forma muito ampla ao longo de uma rede social, atingindo não apenas as pessoas diretamente envolvidas, mas pessoas com até três graus de afastamento da pessoa que é a "fonte da felicidade".

Os cientistas também descobriram que a felicidade se espalha muito mais rapidamente do que a tristeza e a depressão e parece ter um efeito muito mais poderoso até mesmo do que o dinheiro.

Estudos científicos sobre a felicidade

"Os cientistas se interessam pela felicidade há muito tempo," explica Fowler.

"Eles já estudaram o efeito de tudo, incluindo ganhar na loteria, perder o emprego e ficar doente, mas até agora nunca ninguém considerou o efeito total da felicidade sobre as outras pessoas. Nós mostramos que a felicidade pode se espalhar de uma pessoa para outra pessoa, para outra pessoa, e assim por diante, em uma reação em cadeia através de todas a rede social."

"Um dos principais determinantes da felicidade humana é a felicidade dos outros," afirma Christakis, o outro autor do estudo. "Uma característica inovadora do nosso trabalho foi explorar a idéia de que as emoções são um fenômeno coletivo e não apenas um fenômeno individual."

Na pesquisa, eles usaram técnicas para avaliar a felicidade de 4.739 pessoas de 1983 a 2003, recriando a rede social na qual elas estavam inseridas. Para medir o bem-estar emocional das pessoas, eles se basearam nas avaliações dos participantes quanto a quatro afirmativas: Eu sou otimista quanto ao futuro. Eu sou feliz. Eu curto a vida. Eu sinto que sou tão bom quanto todas as outras pessoas.

O benefício de amigos felizes

A pesquisa mostrou que a felicidade adora companhia. Pessoas felizes tendem a se reunir e, de forma geral, pessoas com mais contatos sociais parecem ser mais felizes. Contudo, apenas o número de contatos não explica a felicidade de alguém.

Em média, cada amigo feliz aumenta sua própria chance de ser feliz em 9%. Cada amigo infeliz diminui essa chance em 7% - ou seja, a felicidade é mais contagiante do que a infelicidade.

Segundo os pesquisadores, a felicidade se espalha em uma rede social atingindo pessoas com até três graus de separação. Você tem 15% mais probabilidade de ser feliz se for diretamente conectado a uma pessoa feliz; 10% se seu amigo tiver um amigo feliz; e 6% se seu amigo tiver um amigo que tenha um amigo feliz.

Felicidade é melhor do que dinheiro

"Os efeitos que observamos podem não parecer tão grandes a princípio, mas considere que uma renda extra de U$5.000,00 foi associada a um aumento de apenas 2% na felicidade e você verá que o poder das outras pessoas é incrível. Alguém que você não conhece e com quem nunca se encontrou - o amigo de um amigo de um amigo - pode ter uma influência em sua felicidade maior do que milhares de dólares a mais em seu bolso," diz Fowler.
Estrutura das conexões interpessoais

A estrutura das conexões interpessoais também importa, com a posição de cada pessoa nesta rede impactando de forma significativa o quão felizes elas são.
De acordo com o estudo, a felicidade das pessoas depende não apenas de quantos amigos eles têm, mas também de quantos amigos seus amigos têm. Em termos de redes sociais, isto é conhecido como "centralidade." E, quanto mais central uma pessoa for - quanto mais conectados forem seus amigos ou quanto mais amplo for seu círculo social - mais provável é que ela venha a ser uma pessoa feliz.

O efeito não funciona no sentido inverso: tornar-se uma pessoa feliz não alarga seu círculo de amizades.

A felicidade mora ao lado

Os cientistas também estudaram o que acontece com a felicidade em relação à distância. Quando um amigo que mora a uma milha de distância (1,6 km) se torna feliz, isso aumenta a probabilidade da pessoa se tornar feliz em 25%. Amigos que moram mais longe não têm efeito tão significativo.
(OBS: Eu Mônica digo que meus amigos que moram longe, tem sim um efeito super significativo na minha felicidade).

"Nós acreditamos que a difusão das emoções tem um aspecto psicobiológico fundamental," diz Christakis. "A interação pessoal física é necessária, de forma que o efeito decai com a distância."

O efeito também decai com o tempo.

Responsabilidade sobre a própria felicidade

Essa pesquisa tem várias implicações práticas, uma das quais sendo o fato de que cada um deve assumir uma maior responsabilidade sobre sua própria felicidade porque isso afeta dezenas de outras pessoas.
"A busca da felicidade não é um objetivo solitário. Nós estamos conectados, e esta é a nossa alegria," diz Fowler. (Fonte: aqui)

Flores e Luz.