terça-feira, 28 de junho de 2011

Tecelãs



Tecelãs


Somos mulheres, primeira definição do nosso ser mais profundo e belo, tão intenso quanto inquietante, tão belo quanto sagrado. Intensamente mulheres, com um significado que se alterna entre o humano e o divino, oscilando entre o antigo, o renovado e o eterno, que fazem a retomada de trilhas vivenciadas para o recomeço constante na caminhada que jamais termina, em busca da essência que constitui a nossa natureza.
Somos mulheres do ontem, vindas de outrora, das nossas ancestrais sempre presentes e reverenciadas.
Somos mulheres do agora, este tempo de reconstrução do nosso aprendizado nunca esgotado, reeditando nossos poderes e exercitando nossas vontades.
Somos o depois, na vida das que nos sucederão na grande irmandade universal, filhas que somos da mesma Mãe, grandiosa e plena. Atemporais, somos a eternidade que não virá com o fim do nosso tempo, por sermos preexistentes, desde o antes até o sempre.
Somos mulheres de todas as idades, de todas as profissões, de todas as origens, cores e histórias. Somos donzelas, meninas em crescimentos e em aprendizado. Mães da vida que geramos em nosso ventre sagrado. Anciãs sábias que compartilham lições que atravessam gerações e tempos. Procriamos o conhecimento e o retransmitimos, resgatando o que estava sufocado para que nunca seja esquecido.
Somos mulheres de todos os nomes na mesma busca, numa só crença. Temos no corpo as lembranças do antigo, com as marcas das dores e as lembranças dos melhores prazeres. Temos na mente lembranças que ressurgem de outras vivências e no coração, angústias comuns a todas, e o mesmo amor que nos une, a mesma esperança, o mesmo vigor, a mesma ousadia das que nos precederam, a idêntica coragem que se refaz em cada luta, e o contentamento com as nossas vitórias, árduas, porém recompensadoras.
Somos templos humanos que abrigam o pulsar da Deusa e dela trilhamos o caminho. Sob Sua inspiração, nos conectamos com o Seu sagrado e, resgatando a tradição antiga de reverência a Ela, nos reencontramos com a nossa totalidade.
Somos mulheres que formam um grande e sagrado círculo, e ele tem o formato de teia, em que cada mulher é fio que a vida entrelaçou para um propósito comum: o de honrar a Sacralidade Feminina.
Somos o Círculo de Mulheres da Teia de Thea, filhas da Deusa. Mulheres. Imensamente mulheres na Deusa que vive em nós.



Flores e Luz.



(Fonte: Vêra Pinheiro - Teia de Thea)


3 comentários:

Cora disse...

Belo e intenso!

Sentimos saudades!

Ricardo disse...

Oi amiga!
Fiquei feliz pela visita. Obrigadinho por responder a minha pergunta. Quando eu a fiz, eu abria o Tarô de Marselha. Eu nunca fiz um curso. Aqui onde eu moro isto é um possível se achar. Eu havia comprado um livro (muito bom), e cartas. Mas cada carta tinha vários significados e eu só conseguia ler com o livro do lado. Então ganhei de presente um outro tarô, de Waite. Parece que está sendo mais fácil. Encontrar uma pessoa para me ajudar também será difícil, mas conheço umas cartomantes. Nunca fui em uma, mas... quem sabe um dia?

Flores e Luz pra vc tb!

Silvia Duarte disse...

Lindo mesmo Mô!
adorei!
bom te ver escrevendo...

beijoss
Silvia

www.treinoebeleza.blogspot.com