terça-feira, 31 de agosto de 2010

Sacerdotisa e Grande Fada

Na Floresta encantada,
lá ela estava,
Pálida sacerdotisa e grande Fada.
Cantando com a Deusa,
Sorrindo com os elfos e dançando com os duendes.
Lá ela estava.

Sacerdotisa da Deusa;
Fada da lua e da terra,
Do ar, fogo, e água;
Infinita donzela, estrela brilhante.

Eterna mãe e eterna criança.
Eterna e sábia anciã.
Perante a Deusa,
lá ela estava.

Com o seu caldeirão, ela transformava.
Com a sua varinha, ela encantava.
Com o seu cálice, ela festejava.
Com o seu atame, ela consagrava.
E com o seu sino mágico, invocava a Deusa e os espirítos mágicos.

Pálida sacerdotisa e grande Fada,
No seu trono, ela reinava.
Seu trono a floresta encantada.
No seu trono ela reinava,
A vida e a morte,
O amor e a amizade,
A magia e a música.

Fada élfica encantada.
No círculo da vida e da lua, ela reinava...

Ela sabia, sabia como o ar;
Ela ousava, ousava como a água;
Ela queria, queria como o fogo;
Ela calava, calava como a terra;
Sua poção era o amor.
E sua mágica a vida.

Grande sacerdotisa e eterna Fada.
Eterna mestra, eterna aprendiz.
Na noite mágica.
E na floresta encantada.
Lá ela estava.
Cantando com a Deusa;
Imortal irmã, imortal sacerdotisa...

Flores e Luz.

(Desconheço a autoria)

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Raiva - Blogagem coletiva

Todas as vezes que experienciamos uma forma de desapontamento ou frustração é porque estamos resistindo a aceitar a realidade de que tudo muda, o tempo todo.
Aceitar mudanças requer de nós disponibilidade para o novo: temos que abandonar nossas velhas identidades e nos abrir para o desconhecido.
Na maioria das vezes, resistimos às mudanças porque elas nos demandam esforço, consciência e sabedoria para olhar de frente o que preferiríamos não ver.

Quando nos sentimos incapazes de lidar com o novo, surge em nós a raiva: vontade de atacar para nos defendermos daquela situação indesejada.
A raiva é um sentimento sustentado pela incapacidade de gerenciar uma situação.
A raiva nos desequilibra.
Apesar de expressar-se mediante a força da agressividade, ela nos enfraquece.
A raiva surge quando nos sentimos fracos e frustrados ao termos de reconhecer nossos limites internos e externos.

Para superar a raiva, é preciso saber atravessá-la.
O segredo está em observar o desconforto que ela produz em nós, sem nos deixarmos contaminar pela negatividade da autocrítica.
Como um cientista que é capaz de analisar uma substância venenosa sem se deixar contaminar por ela.

Não precisamos ser vítimas de nossa raiva.
Da próxima vez que você estiver preso à raiva, evoque em si mesmo uma atitude mental capaz de testemunhar o que estiver ocorrendo.
Você verá que é possível distanciar-se da raiva enquanto a estiver sentindo.
A atitude mental de observação é imparcial: não julga a raiva como certa ou errada.
Sua intenção é recuperar a clareza mental.

Para lidar positivamente com a raiva, temos de desenvolver a capacidade de manter os olhos abertos diante da dor.
Ter compaixão por nós mesmos é despertar a curiosidade em saber como aquele sentimento de raiva surgiu em nossa mente pela primeira vez.
Muitas vezes, sentir raiva nos faz chorar.
Se o choro for de aceitação, ele nos ajudará a derreter o ressentimento e o orgulho ferido.
Mas se for de indignação estaremos retroalimentando a própria raiva.
A indignação é como uma cola que nos deixa ainda mais presos ao sofrimento.
Podemos reconhecer que a raiva não nos traz benefícios e nos desinteressarmos por ela.
No entanto, só quando aceitamos a raiva é que ela se desprende de nós.

Há algo que a raiva quer nos ensinar.
Podemos escutá-la, pois ela nos revela as forças que necessitamos desenvolver para realizar nossas mudanças.
Na próxima vez que você estiver preso à raiva, pergunte-se: “Que força interna eu preciso gerar agora?”
Você já pensou em recuperar a gentileza consigo mesmo durante um ataque de raiva?
Podemos ter sido vítimas de uma injustiça, mas não precisamos ser vítimas de nós mesmos!
A determinação em sucumbir da raiva nos ajuda a recuperar nossa vitalidade.

O mestre budista Chögyam Trungpa dizia que o objetivo da vida consiste em simplesmente ir em frente e fazer da vida um modo de despertar, mais do que de adormecer.
Ele enfatizava que falhar é uma experiência inevitável, pois sempre encontraremos dificuldades. Mas se praticarmos com sinceridade e seguirmos o caminho com o nosso coração, as dificuldades não representarão um obstáculo.
Serão, simplesmente, um aspecto da vida, uma forma particular de energia.


Flores e Luz.


(Por Bel Cesar)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Salve! Oh Deusa Lua

Lua

Nasce a noite iluminada pela Lua Cheia
E no íntimo sentimos sua misteriosa presença
Luz prateada enfeitiçando a meia noite e meia
Brilhando sobre a imensidão de cada crença

Lua Cheia de adversidades
Dos que vagueiam pelas veredas das sombras
Dos seres vazios pedintes de prosperidades
Dançam seus sonhos e ilusões sobre as alfombras

Lua Cheia dos lunáticos insanos
Das suas lágrimas caem estrelas sobre mim
Sobre os véus dos meus desejos humanos
Da maestria dos segredos não sairão até o fim

Lua Cheia dos poetas românticos
Dos amantes boêmios e eternos namorados
Assinalando a força dos poderes quânticos
Unindo as almas e os corações apaixonados

Lua Cheia dos ciclos e nascimentos
Gravitacional é o seu poder sobrenatural
Daqueles que possuem os conhecimentos
Mas sua magia é um fenômeno transcendental.

Flores e Luz.

(Autora: Helen Dante)

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Autoestima


Pois é, mais um dia de blogagem coletiva.
Tema de hoje: Autoestima

Falarei brevemente sobre o que penso sobre os pontos principais a meu ver.
Primeiramente a autoestima vem com o tempo, com a maturidade.
Pelo menos no meu caso foi assim! Sempre tive uma boa autoestima, mas virava e mexia escorregava nos comentários maldosos que faziam de mim de vez enquando. Antigamente parava e me preocupava pensando se eu era daquele jeito, se estava faltando algo, se não era boa o suficiente etc etc etc...
Meu primeiro passo rumo ao equilíbrio veio através do contato com a dança do ventre sagrada (não esta vulgaridade que andam mostrando por aí), através da dança fui desabrochando para um mundo novo. Me vi como uma mulher com defeitos e qualidades como todas, mas super de bem com meu corpo, parei totalmente de encanar com coisas tolas a respeito do meu jeito, do meu físico, oras rs, eu tinha mais o que fazer não!? rs.
Foi um desabrochar muito bonito, equilibrado, digo isto porque hoje em dia tem muitas mulheres vulgares expostas a troco de banana, e por nada estão aí enchendo os seios de silicone, malhando feito loucas, pondo botox antes da hora! Dá até uma impressão de autoestima se cuidar desse jeito, mas genteeee, não é nada disso! Estas pessoas tentam o tempo todo se auto afirmar, é uma grande falta de autoestima! Vibro sinceramente para que um dia, encontrem o equilíbrio para suas vidas.
Hoje em dia (aliás a um bom tempo já rs), tenho uma excelente autoestima, sou super centrada, não me abalo com comentários, se dizem que meu cabelo está lindo, acredito e sei que está porque não preciso que me digam para saber quem sou. Adoro um elogio, quem não gosta, é sempre bem vindo, ainda mais de pessoas queridas, mas não dependo desses elogios para saber quem sou. Me autovalorizo, fiz por onde, sou equilibrada e tento ensinar os outros também a adquirirem esta paz. É muito bom confiar no que a Deusa me deu.
No meu modo de pensar, não existe ninguém melhor do que ninguém, existem pontos de luz em todos os lugares querendo brilhar e ter seu lugar na terra.
Cada um é único, precisamos acreditar no nosso brilho interno, para este brilho reluzir forte para fora, atraindo seus afins para seguirem juntos e de mãos dadas, e ajudar a todos os que estiverem prontos para entender que somos todos Um.
Fica aí a minha dica, seja sempre você mesmo, acredite, a grama do vizinho não é mais verde que a sua.

E como já dizia o "Ultraje a rigor":

Eu me amo
Eu me amo
Não posso mais viver sem mim...rs



Nossa, isso porque eu ia escrever só um pouquinho rs.
Grande beijo à todos.



Flores e Luz.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Banho Mágico Azul


Banho Azul para se proteger contra inveja e olho gordo.

Ingredientes:

2 litros de água morna
5 gotas de essência de cravo
5 gotas de essência de canela
5 gotas de essência de arruda
5 gotas de essência de alecrim
5 gotas de corante alimentício azul aniz

Amorne a água e adicione uma essência de cada vez e por último o corante.
Tome um banho normal de chuveiro e depois derrame a água azul sobre o corpo começando do pescoço pra baixo.

Obs: é sempre bom se proteger, mas o melhor é ter bons pensamentos para não atrair os afins!

Flores e Luz.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Reflexão - Reverência ao Destino

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras
em mente que se expresse sua opinião...
Difícil é expressar por gestos e atitudes, o que realmente
queremos dizer.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas
circunstâncias...
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus próprios erros.

Fácil é fazer companhia a alguém, dizer o que ela deseja
ouvir...
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer a verdade quando for preciso.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre a mesma...
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado...
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece.

Fácil é viver sem ter que se preocupar com o amanhã...
Difícil é questionar e tentar melhorar suas atitudes impulsivas e as
vezes impetuosas, a cada dia que passa.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar...
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar...
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.

Fácil é ditar regras e...
Difícil é segui-las...

Flores e Luz.

(Carlos Drummond de Andrade)

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Patuá para proteger contra a Inveja

Xô!
Então, mãos à obra!

10 cm de pano vermelho
3 cravos-da-índia
3 paus de canela
1 colher de sal grosso
1 colher de manjericão
Pétalas de uma rosa branca

Em uma noite de lua cheia, faça um saquinho com o pano vermelho, e costure com uma linha preta ou vermelha virgem.
Coloque os ingredientes todos dentro dele, e feche a costura.
Deixe-o passar a noite no sereno.
No dia seguinte, pegue o patuá e agradeça aos Deuses por te protegerem da inveja.
Leve o saquinho sempre com você.
Utilize sempre para o bem.

Lembre-se sempre: “Podemos escolher o que semear, mas somos obrigados a colher aquilo que plantamos.”
Flores e Luz.


(Por Andréa Sutil e adaptado por mim - Blogagem coletiva - Tema: Inveja)

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Dodói

Gente!!!
Estou dodói, resfriada urghhh...então desculpem-me pela ausência.
Assim que melhorar eu volto e respondo todos os comentários tão carinhosos que me deixaram no post da blogagem coletiva.

Beijinhos....Atchinnnn...ops...rs.

Flores e Luz.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Desejo...

E o tema da blogagem coletiva de hoje é o Desejo!
Estou postando esta música que para mim é um hino, prestem atenção na letra.
Esta música fala de tudo o que eu desejo para vocês, e para mim também claro!

Amor pra recomeçar
(Frejat)

Eu te desejo não parar tão cedo
pois toda idade tem prazer e medo

E com os que erram feio e bastante
que você consiga
ser tolerante

Quando você ficar triste que seja por um dia
e não o ano inteiro

Que você descubra que rir é bom
mas que rir de tudo é desespero

Desejo que você tenha a quem amar
e quando estiver bem cansado
ainda exista amor pra recomeçar
pra recomeçar

Eu te desejo muitos amigos
mas que em Um
você possa confiar

E que tenha até inimigos
pra você não deixar de duvidar

Quando você ficar triste que seja por um dia
e não o ano inteiro

E que você descubra que rir é bom
mas que rir de tudo é desespero

Desejo que você tenha a quem amar
e quando estiver bem cansado
ainda exista amor pra recomeçar
pra recomeçar

Eu desejo que você ganhe dinheiro
pois é preciso viver também

E que você diga a ele pelo menos uma vez
quem é mesmo o dono de quem

Desejo que você tenha a quem amar
e quando estiver bem cansado
ainda exista amor pra recomeçar
pra recomeçar

Flores e Luz.



quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Momento de Reflexão

"Tudo é passageiro,
e por mais que você se agarre,
estará sempre sendo levado pela vida."
(AD)

Flores e Luz.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Festival das Dríades


Festival das Dríades, na Macedônia, celebrando durante três dias as Ninfas das florestas, as Ondinas das águas e os espíritos femininos das árvores.
Na antiga Alemanha, comemoravam-se as Nixen ou Kelpies, ondinas com vozes maravilhosas que, às vezes, dançavam com os homens.
Elas eram seres mutáveis, tanto na forma quanto na personalidade.
Podiam ser amáveis ou perversas, aparecendo em forma de mulher ou metade mulher, metade peixe.
Frequentemente, raptavam seres humanos, devolvendo-os se devidamente agradadas e presenteadas.
Os espíritos das árvores e das águas eram conhecidos na mitologia celta com vários nomes: Dervonnae eram as Dríades dos carvalhos; Fangge, as dríades benévolas; Pressina, as ondinas galesas; Stratteli, as dríades maléficas; Lamias, as ondinas bascas e as Damas Verdes, ninfas malévolas das florestas.

Aproveite a egrégora do dia e vá para perto de um rio ou lago e banhe-se, pedindo às Ondinas a purificação de sua aura.
Depois abrace uma árvore, pedindo à Dríade que nela habita para revitalizar seus centros vitais. Agradeça a ajuda e a energia recebida desses seres femininos, ofertando-lhes pequenos agrados femininos, como um espelho, fitas coloridas de seda ou veludo, pequenos sinos ou pétalas de flores.
Reverencie as Dríades, as Ninfas e as Ondinas, respeitando a pureza de seu habitat e evitando danificar as árvores ou poluir os rios.

Flores e Luz.


(Mirella Faur)