sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

As Borboletas em minha Vida




Quem me conhece sabe, eu amo as borboletas desde pequenininha. Vou até relatar uma história importante na minha vida pela delicadeza, e também por conta de ser um dos momentos mais bonitos que tive com meu saudoso paizinho.


Sempre via e ficava encantada com as borboletas voando no jardim da casa do vovô e da vovó, me lembro bem de um pé de Manacá que havia bem no centro do jardim da casa deles, me lembro do perfume, do colorido e lógico, das lindas Borboletas! Já na minha casa lembro de vê-las voando mais em um terreno que havia ao lado, aonde de vez em quando eu brincava com meu irmão e amiguinhos. Um dia vi uma coisinha verdinha com um filhete dourado tão bonitinho e fiquei curiosa para saber o que era! Meu pai foi olhar e me disse que era uma casinha de borboleta, um casulo! Me contou que as lagartinhas coloridas viravam aquele casulo e que dele nascia uma linda Borboleta! Fiquei encantada, me lembro até hoje dos meus olhinhos grandes entusiasmados de poder ver aquilo, e curiosa claro, para ver a Borboleta nascendo! Fui pra casa com meu pai e ele pregou uns preguinhos na parede perto do tanque, num lugar que tinha um cobertinho; voltamos no terreno e ele me ensinou a pegar o casulo delicadamente. Chegando em casa ele pegou um pedaço de linha da minha mãe e amarrou no cabinho do casulo e pendurou lá, no preguinho. Me disse que era para eu sempre olhar o casulo que eu iria ver a Borboleta nascendo, e adivinha, todo o dia eu estava lá, várias vezes por dia olhando aquele casulinho verde claro com um filhetinho dourado. E eis que um dia, o casulo ficou transparente, e eu podia ver a Borboletinha lá dentro, tão linda! O casulo foi ficando mais e mais transparente,, com a casquinha bem fininha, e eis que a Borboleta começou a nascer empurrando suas asas para fora até se desvencilhar daquele casulo que a havia protegido. Eu fiquei muito encantada olhando aquela linda e delicada criatura com suas asinhas alaranjadas e pretas com pequenas bolinhas brancas. Foi um momento muito mágico na minha vida! A partir daquele dia, eu sempre pegava casulos no terreno e trazia para o meu pai me ajudar a pendurar, pois eu devia ter uns 5 ou 6 anos de idade só! Enquanto morei naquela casa vi muitas delas nascendo, se fortalecendo e voando! Lindas e livres!


Meu amor pelas lindas e delicadas Borboletas cresceu cada vez mais, e eu sou uma apaixonada por estes serzinhos alados, que para mim nada mais são do que Fadas disfardas de Borboletas.




Flores e Luz.

Um comentário:

Marcio Macedo disse...

Que bonito!
Se todos tivéssemos o respeito e a admiração pela Natureza o mundo seria outro.
Parabéns!